19.03.20

Médicos orientam pacientes com suspeita de Coronavírus à distância em unidade de saúde baiana

Foto: Crédito da Foto: Divulgação

Teste laboratorial feito em casa, acompanhamento médico e diminuição de entradas em hospitais são alguns dos benefícios da prática

Médicos orientam pacientes com suspeita de Coronavírus à distância em unidade de saúde baiana

Pessoas com sinais suspeitos de contágio pelo Novo Coronavírus, tais como febre, tosse, dor de garganta, dificuldade para respirar e, que também tenham tido contato com indivíduos de regiões mais afetadas pela doença ou supostos casos confirmados contam, a partir desta terça-feira (17), com serviço de orientações médicas através da telemedicina, com auxílio da videochamada. O recurso, que permitirá a atenção básica de saúde às pessoas suspeitas da infecção à distância, foi implementado através do programa Move Experience – Medicina Preventiva, com o intuito de assistir aos doentes, descartar casos suspeitos, evitar a superlotação em hospitais e, consequentemente, a proliferação do Covid-19.

De acordo com a idealizadora do Move - Movimente, Organize, Viva, Experimente, núcleo de saúde preventiva para engajamento de pessoas para o autocuidado, Fernanda Ferrari, uma equipe médica multidisciplinar foi treinada especialmente para realizar esse tipo de orientação, sob a coordenação do médico infectologista Licenor Lopes, e está apta para triar casos suspeitos, não suspeitos e prováveis. Caso o profissional, durante a consulta, identifique sintomas de que há infecção pelo Novo Coronavírus, o paciente será orientado no sentido da necessidade da realização do teste laboratorial, notificação ao Ministério da Saúde, e informado sobre as medidas de isolamento e prevenção.

“Além disso, será possível triar casos leves de formas graves ou pacientes com maior predisposição a desenvolver complicações da doença (idosos, hipertensos, cardiopatas, pessoas com diabetes, portadores de câncer e imunossuprimidos), sendo necessário, nesses casos, dirigir-se até uma unidade de saúde. Uma vez comprovada a doença, o paciente será orientado a, também, buscar unidades de saúde para atendimento ou manter-se em casa em quarentena, a depender da gravidade da situação”, explica Fernanda Ferrari, que é pós-graduanda em Experiência do Paciente e Cuidado Centrado na Pessoa pelo Hospital Sírio Libanês.

A equipe multidisciplinar é composta por infectologista, médico e enfermeira da família, enfermeira especialista em Serviço de Controle de Infecção Hospitalar, nutricionista, além de médicos especialistas de apoio (Cardiologia e Endocrinologia). O acesso ao serviço de orientação médica através da telemedicina para o diagnóstico do Covid-19, poderá ser requerido exclusivamente pelo WhatsApp (71) 99276-0320. Mais informações podem ser obtidas através do telefone fixo (71) 3612-8383, contato da Clínica Angioclam, parceira do programa Move Experience.

Telemedicina

O recurso da telemedicina não exclui a necessidade de consulta médica presencial. “Porém, em situações de emergência e urgência, quando existe impossibilidade, risco ou impedimento de pessoas em circulação - não sendo recomendada a ida de pacientes de forma desregulada e excessiva às unidades de saúde, devido ao risco de superlotação e por serem potenciais vetores de transmissão de doenças -, a teleorientação torna-se uma solução viável e de alto impacto para a população”, explica o diretor médico responsável pelo programa, Sérgio Possidio.

O Conselho Federal de Medicina, através da resolução 1643/2002, ressalta situações de exceção, nas quais permite-se esse serviço, sendo recomendada a consulta presencial posteriormente, assim que cessadas as restrições de acesso aos serviços de saúde vigentes que, nesse caso, se devem a epidemia. A orientação à distância ocorre por meio de um sistema de prontuário eletrônico online, que permite acesso ao paciente pelo celular e ao médico pelo desktop, com total sigilo e confidencialidade das informações.